“Essa será a década do Brasil”, diz Lula ao sancionar o Minha Casa Minha Vida

Publicado às 18h 25, desta quinta (13)

Reformulação do programa contempla ampliação do acesso de faixas de renda, redução de taxas e aumento do subsídio para aquisição dos imóveis; Confira todas as mudanças

“Essa será a década do Brasil, afirma Lula ao sancionar o novo Minha Casa Minha Vida. Foto: Ricardo Stuckert

O presidente Lula sancionou nesta quinta-feira (13) o maior programa de habitação popular do Brasil, o novo Minha Casa Minha Vida (MCMV). Com a garantia do programa, o povo brasileiro recebe novos benefícios e facilidades para adquirir sua própria casa (verifique no fim da matéria todas as mudanças).

Durante a cerimônia, que contou com as presenças do ministro das Cidades, Jader Filho, e da presidente da Caixa Econômica Federal, Rita Serrano, Lula afirmou que o país vive um momento excepcional e que esta pode ser a “década do Brasil”.

“O Brasil não é para nós, não é para o PT nem para o Lula”, anunciou Lula. “As pessoas estão percebendo o momento histórico que o Brasil está vivendo. Se a gente souber cuidar com carinho o momento político, essa será uma década do Brasil. O Brasil pode recuperar seu prestígio internacional, pois as pessoas podem voltar a ter aumento de salário, a ser tratado com respeitos nas ruas”, disse o presidente.

Lula afirmou ainda que o Brasil voltou à normalidade e que a sociedade brasileira tem o direito de voltar a ser feliz e ter esperança. “Tudo isso está sendo levado de um momento excepcional do Brasil. O país parece que voltou a se encontrar com a normalidade. As pessoas estão tendo o direito de voltar a ser felizes, o direito de voltar a ter esperança, estão voltando a sonhar, percebem que a economia começa a melhorar, que o preço dos alimentos começou a cair”, comemorou.

Classe média contemplada

O ministro das Cidades enfatizou que as mudanças no MCMV, além de atender os que mais precisam, contemplam ainda a classe média brasileira, que também poderá se beneficiar com o novo programa.“Com a assinatura do presidente Lula, o novo Minha Casa Minha Vida vai para as ruas do país rejuvenescido, disposto em diretrizes e parâmetros revisados, atualizados e modernizados, mas sem, por um único instante, desviar-se de seu caráter de sua razão de existir, que é atender aqueles que mais protegidos da proteção do Estado”, declarou Jader Filho.

“Presidente, como o senhor tem dito, os que mais precisam voltaram a ser incluídos no orçamento geral da União”, lembrou o ministro. “E outra coisa, é indispensável destacar que a classe média também é contemplada pelo programa de várias formas. Agora, por exemplo, as famílias podem adquirir imóvel no valor de até R$ 350 mil, financiado com melhores condições pelo novo Minha Casa Minha Vida”.

500 mil empregos gerados

A presidente da Caixa Econômica Federal, Rita Serrano, enfatizou que a retomada das obras do programa gerou 500 mil empregos e resgatou diversos projetos parados.“Nós entregamos, agora, junto com o Ministério das Cidades, no primeiro semestre, quase 8 mil unidades habitacionais, beneficiando 30 mil pessoas”, informou Serrano.

“E vamos entregar, no segundo semestre, mais 10 mil unidades dessas que estavam paradas, além de iniciar a inscrição das 115 mil unidades, que é a meta do Ministério das Cidades para a faixa 1, mais de 1 milhão 400 mil casas no país”.

Acabar com o déficit habitacional

A prioridade do governo Lula é acabar com o déficit habitacional no Brasil com a contratação de mais 2 milhões de moradias até 2026.

No primeiro semestre de 2023, até o dia 3 de julho, o Minha Casa, Minha Vida entregou 10.094 unidades habitacionais em 14 estados. As residências entregues somam um investimento total de R$ 1,17 bilhão. Nos próximos seis meses, a previsão é entregar ao povo brasileiro mais oito mil unidades habitacionais, com a retomada de 21,6 mil obras.

Principais mudanças no novo Minha Casa Minha Vida

Faixa de Renda – as faixas de renda foram ampliadas, tanto para quem será beneficiado com um imóvel pelo governo federal, quanto para quem quer financiar. A renda mensal bruta familiar ficou dividida em três faixas:

– Faixa 1 contempla famílias com renda mensal de até R$ 2.640

– Faixa 2 para famílias com renda entre R$ 2.640,01 e R$ 4.400

– Faixa 3 para famílias com renda mensal entre R$ 4.400,01 e R$ 8.000

Valor do Imóvel – o valor do imóvel foi ampliado e contempla valores diferentes de acordo com o porte da cidade que receberá o empreendimento e com a faixa de renda para qual ele está destinado.

Neto Gaia

Trabalhamos com a verdade; doa em quem doe !

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *