SERRA TALHADA: Márcia > Giovanni Sá, só conhece meu trabalho e pode avaliar > é quem mora em Serra Talhada “Nosso governo é o Melhor, quem fala Isso é o povo tá; Sebastião, Nem aqui Mora > não Sabe a Realidade”

A pré-candidata governista à Prefeitura de Serra Talhada, Márcia Conrado, respondeu às críticas disparadas pelo deputado federal Sebastião Oliveira, líder de um dos bloco de oposição na cidade. No último sábado (25), no Programa do Farol no Youtube [veja aqui] o parlamentar deu “nota vermelha” no “boletim” de gestão de Márcia enquanto secretária municipal de Saúde, especialmente, no tocante ao combate à Covid-19.

Nesta quarta (29), no Programa Frequência Democrática, com Francys Maia e Giovanni Sá, Márcia disse que sabe da aprovação do seu trabalho pela população. Ela também argumentou que não lhe importa a opinião de Sebastião pelo fato dele não morar na cidade e não conhecer “a nossa realidade” e nem “nossas demandas”. Márcia também provocou Sebastião a cumprir uma promessa de vir a Serra Talhada atender pacientes com Covid voluntariamente, como teria prometido.

“A gente tem pesquisas em mãos e o que me deixa tranquila é saber que a população que mora em Serra Talhada, que utiliza o sistema de saúde de Serra Talhada nos deu uma aprovação de mais de 84%, principalmente, em relação à pandemia. O deputado [Sebastião Oliveira] por morar em outra cidade, por não vivenciar a nossa realidade, às nossas demandas, pode estar equivocado. Espero que ele também venha contribuir. O [Governo do] Estado já inaugurou o hospital de campanha, ele disse em entrevista que vinha atender [pacientes] de forma voluntária, espero que ele venha fazer a sua parte, porque a minha parte eu fiz sim, como secretária de Saúde”, disse Márcia, argumentando:

“Os números que a gente tem hoje [sobre a pandemia] poderiam ser bem piores, se não tivesse a ação efetiva que a gente teve, que não só eu, mas os mais de 800 funcionários do município, quanto os do Estado. E a avaliação dele [de Sebastião] para mim não significa muito, porque ele não vive, não mora em Serra Talhada, e não sente as necessidades daqui. O que a gente tem através de pesquisas e do dia a dia mostra que a realidade é diferente disso, que a população aprovou as nossas ações, que o nosso panorama poderia estar bem pior. Mas, graças a Deus, quando se compara o número de óbitos e de internados entubados em relação a outros municípios do nosso porte, a gente tem um resultado satisfatório”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *