Politização da PF é perigosa e inquérito contra ‘Bolsonaro’ tem que ser republicano

Publicado às 5⏲️ 54 – desta ter, 13 | Fonte: Jovem Pan ao Portal Neto Gaia.

Polícia Federal abriu investigação sobre suspeita de prevaricação do presidente na negociação da Covaxin; programa ‘Os Pingos Nos Is’ comentou a decisão

MATEUS BONOMI / AGIF – AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA / ESTADÃO.PF abriu inquérito para investigar presidente Jair Bolsonaro

Polícia Federal abriu inquérito para investigar suspeita de prevaricação do presidente Jair Bolsonaro na negociação da vacina indiana Covaxin. De acordo com a lei, prevaricação consiste em “retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício, ou praticá-lo contra disposição expressa de lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal”. O inquérito foi instaurado após autorização da ministra Rosa Weber, que atendeu a um pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR). A abertura da investigação ocorre após denúncia do deputado federal Luis Miranda (DEM-DF), que disse que o presidente soube das supostas irregularidades na compra do imunizante. 

Para Ana Paula Henkel, comentarista do programa “Os Pingos Nos Is“, da Jovem Pan, as Forças Armadas e a Polícia Federal são as instituições nas quais a população brasileira mais confia. No entanto, ela diz que a “politização” da polícia é perigosa. “A nossa PF tem um bom lastro de confiança com a população e isso não pode ser perdido, porque ela é um braço importantíssimo no combate à corrupção”, disse Ana Paula. A comentarista afirmou que apoia qualquer investigação, desde que seja republicana. “Que a investigação siga o rumo que tem que seguir, mas que siga o rumo republicano, não o politizado como a CPI infelizmente tomou”, completou. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *