Mulheres do PT São Paulo registram pré-candidatura coletiva feminista preta

Marilandia Frazão, Déia Zulu e Regina Conceição registraram a pré-candidatura da bancada coletiva Movimento Negras Vozes, representada por mulheres negras da periferia. 25/08/2020 12h58Elineudo Meira

(da esquerda pra direita) Deia Zulu, Regina Conceição e Marilândia Frazão

Leia mais

Marilandia Frazão, Déia Zulu e Regina Conceição registraram nessa segunda-feira (24), a pré-candidatura da bancada coletiva Movimento Negras Vozes, representada por mulheres negras da periferia.

O registro foi feito na sede do diretório municipal do PT São Paulo e contou com a presença da secretária municipal de São Paulo de Mulheres Bete Silvério e do secretário municipal de organização Luiz Mário.

O Movimento é composto por Deia Zulu, Marilandia Frazão e Regina Conceição e carregará a assinatura para efeitos legais da professora Marilandia Frazão.

Segue publicidade: com representantes do PT em Pernambuco.

A pré-candidatura do Movimento Negras Vozes tem como objetivo a luta pelo espaço e necessidades das mulheres negras. As três representantes têm histórico de ativismo no movimento feminista negro e direitos humanos.

Marilandia Frazão, moradora de Itaquera, zona leste de São Paulo, professora pedagoga e psicopedagoga, sindicalista, especialista em educação étnica racial e história da África. Atuou nas gestões petista Marta Suplicy e Fernando Haddad em São Paulo e do Emídio em Osasco, na inserção da temática negra e história da África na educação multidisciplinar.

Andreia Batista, conhecida como Deia Zulu, moradora da região de Brasilândia, zona norte da cidade, formada em relações públicas, especialista em marketing e direito. Atualmente é operadora de direito previdenciário, mas também é escritora e defensora dos direitos humanos, atuante nas causas dos direitos LGBTQIA+ e integrante do naipe do agogô do Bloco Ilu Obá De Mim.

Regina Conceição é moradora de São Miguel Paulista zona leste, formada em direito pelo ProUni. Trabalha com direito previdenciário e do trabalho. Faz parte da CONEBRAS (Confederação dos Negros do Brasil), estuda pós em direito do trabalho na USP e também é atuante nas causas dos direitos LGBTQIA+.

Para a secretária municipal de mulheres do PT, Bete Silvério é muito importante para o partido e para o movimento de mulheres, o registro de uma candidatura que representa não somente nas intenções, como também na representação, a identidade da maioria da população periférica, como a pré-candidatura da bancada Negras Vozes.

“Além do Movimento Vozes Negras, a previsão é que o PT tenha o registro de outras quatro pré-candidaturas de bancada coletiva: a Bancada Antifascista; Nabil e o Coletivo Mais Direito à Cidade; Bancada Hip Hop e a bancada Frente Democrática”, afirma Laércio Ribeiro, presidente do diretório municipal do PT São Paulo.

Por Diane Costa do PT São Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *