JUSTIÇA: Decisão permite que goleiro Bruno volte a transitar nas ruas em abril de 2022

Atualizado ás 21⏲️ 15 – desta sex, 03 | Fonte: Jornalismo o Tempo ✍️ agradecemos os 112.253 visualizações.

Justiça do Rio de Janeiro acatou a pedido da defesa do ex-jogador do Flamengo e reconheceu erro na data da prisão que constava no processo. Condicional prevista para 2024 passou para 2022. Atualmente Bruno está em regime semiaberto

Goleiro Bruno se diz “muito motivado” em apresentação no time de Poços de  Caldas
Foto: correio do povo 📷

O goleiro Bruno Fernandes, condenado a 22 anos e três meses de prisão pelo assassinato da modelo Eliza Samudio, vai poder circular pelas ruas a partir de abril de 2022, após nova decisão assinada pela juíza Ana Paula Abreu Filgueira, na quarta-feira – da Vara de Execuções Penais do Rio de Janeiro.

Atualmente,  Fernandes reside em Cabo Frio  e cumpre o regime de prisão domiciliar. Nesse caso, ele só pode  sair de casa, em horários específicos e apenas para trabalhar. 

Entenda 👇

O advogado do goleiro,  Luiz Gregório, afirma que a data da prisão de Bruno no processo estava errada. O defensor apontou  que o condenado foi preso em 2010, e não em 2012, como constava na Justiça. Por isso, a condicional será adiantada de 2024 para 2022. O motivo do erro não foi esclarecido.

“Ao assumirmos o processo, constatamos que havia um erro na data-base do livramento condicional. Com  em essa decisão, a condicional do Bruno, que estava prevista para 8 de janeiro de 2024, passou para 10 de abril de 2022”, explicou o advogado Luiz Gregório.

Livramento 👇

Após conseguir a Condicional, o goleiro poderá, inclusive, viajar. Ele só não poderá se ausentar por mais de 30 dias do estado carioca. Ao determinar o regime, o juiz impõe outras condições. “Cada caso é um caso, e a gente tem que aguardar que isso ocorra para que a gente tenha certeza do que será”, disso o advogado.

Relembre 👇

Bruno Fernandes foi preso em 2010, mas foi julgado em 2013. Ele foi condenado a mais de 22 anos de prisão pelo assassinato, sequestro e cárcere privado de Eliza Samudio. Ele também foi condenado pela ocultação do corpo da moça e pelo sequestro do filho do casal, o Bruninho. Desde 2019,  ele cumpre pena no regime semiaberto domiciliar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *