Irã: comandante derrubou avião ao “confundir” aeronave com míssil

Em comunicado, Amir Ali Hajizadeh disse que não recebeu confirmação da ordem de disparo dos mísseis. Ele teve 10 segundos para decidir

Fonte: jornalismo Petrópoles

IRN – IRÃ/AVIÃO/MÍSSIL – INTERNACIONAL – Nesta foto de quarta-feira, 8 de janeiro de 2020, equipes de resgate pesquisam a cena em que um avião ucraniano caiu em Shahedshahr, a sudoeste da capital Teerã, no Irã. O Irã negou nesta sexta-feira as acusações de que um avião ucraniano fabricado pela Boeing, que caiu em Teerã na última terça-feira, foi derrubado por um míssil iraniano. O país persa também pediu aos Estados Unidos e Canadá, que afirmaram que há evidências de que essa seria a explicação para a queda, que compartilhassem qualquer informação que tivessem sobre o ocorrido, que matou 176 pessoas. 08/01/2020 – Foto: EBRAHIM NOROOZI/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Ochefe da Força Aérea da Guarda Revolucionária do Irã, Amir Ali Hajizadeh, assumiu neste sábado (11/01/2020) “total responsabilidade” pelo ataque que derrubou o avião ucraniano e matou 176 pessoas na última quarta-feira (08/01/2020).

“Assumo total responsabilidade. Teria preferido morrer a testemunhar um acidente semelhante”, afirmou em comunicado transmitido pela televisão estatal.

De acordo com o militar, o disparo dos mísseis foi feito erroneamente, uma vez que não recebeu confirmação da ordem devido a um bloqueio de sinal. Hajizadeh explicou que ele teve apenas 10 segundos para decidir.

O presidente do Irã, Hassan Rouhani admitiu no Twitter que mísseis do país derrubaram, devido a um “erro humano”, o voo 752 da Ukraine International Airlines. Na postagem, Rouhani classificou a tragédia como decorrente de um “erro imperdoável”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *