Comerciante nascido em São João dos Gaias aconselha os demais para 2022 ‘Reajam com a vida 👁️ senão é pior’

ATUALIZADO ÀS 16⌚ 40 | CONTEÚDO: FAROL DE NOTICIAS PARA NETO GAIA

No auge dos 80 anos o empreendedor serra-talhadense José Gaia Neto, 80 anos, com comércio no Mercado Público de Serra Talhada há mais 35 anos, dar exemplo de força e superação durante tempos difíceis para os comerciantes, principalmente para os microempreendedores. Ele venceu a fadiga da idade e os desafios da queda das vendas perseverando diariamente e finaliza 2021 com esperança de dias melhores no quesito saúde, comércio, agricultura etc.

Zé Gaia foi criado em São João dos Gaia, zona rural de Serra Talhada, um dos 10 filhos do casal Antônio Batista Gaia e Dona Maria Celeste Gaia. Era casado com Maria Anunciada de Magalhães, falecida há 2 anos, com quem teve 7 filhos e alguns netos. Há cerca de 35 anos decidiu se mudar para a Capital do Xaxado para colocar os filhos para estudarem. Durante todo o tempo que morou na fazenda, ele viveu da agricultura e criação de gado. Segundo Zé Gaia, a mesa era farta, não faltava nada, tinha queijo garantido a mesa tanto da família quanto das pessoas que trabalhavam com ele.

SEGUI APÓS PUBLICIDADE: COM ETRENO; EDMUNDO GAIA 👇

https://www.facebook.com/100001159419092/videos/727872907261350/

Na manhã desta segunda-feira (27), a reportagem do Farol fez a visita no box do comerciante, que possui variedade em produtos como cereais, mel de abelha, rapadura, itens do seguimento de mercearia e o excelente atendimento de quem carrega mais de 35 anos de atendimento ao cliente.

SEGUI APÓS PUBLICIDADE: COM ETERNO; EDMUNDO GAIA 👇

https://www.facebook.com/100004856888231/videos/221723697999525/

Em conversa com o Farol, Zé Gaia revelou as dificuldades que enfrentou durante o ano, mas afirmou que  ainda assim não desanimou.

”Trabalho aqui de segunda a sábado, trabalho o dia todinho, não tenho esmorecimento, só o enfado da idade. Graças a Deus não tive covid, passei o ano trabalhando, uns dias mais fracos, tem semana que a gente não vende nada e assim ia levando a vida porque a gente não vai botar na cabeça. Continuo vindo todos os dias. Se meus colegas daqui do trabalho desanimarem eu dou conselho, só dou conselho para o bem. Aconselho que reajam com a vida porque se esmorecer é pior, porque mesmo com as dificuldades eu estou aqui”, disse.

”Me levanto todos os dias 5h da manhã e venho para aqui, dou graças a Deus porque ele me deu essa coragem e continua me dando para vencer todos os dias. Espero que o ano que vem seja bom, bom de inverno, bom de comércio, bom de negócio, bom de saúde, bom para os agricultores que não têm de que viver, vivem só da agricultura”, completou Zé Gaia esperançoso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.