Colegiado do Sise-SUS se reúne para discutir ações voltadas ao ensino no serviço de saúde da Capital

ATUALIZADO ÀS 8h 45 | CONTEÚDO: PREFEITURA DE PALMAS-TO

A 4ª reunião ordinária abordou a regulamentação das residências, mapeamento de aprendizagem, entre outros assuntos

Segui após publicidade 👇

FarmaNEXT 👆 Agradecemos seu contato.
Nosso horário de atendimento é:
Domingo: 07:00 às 12:00 e 16:00 às 20:30
Segunda a quinta: 07:00 às 20:30
Sexta-feira: 07:00 às 18:00
Retornaremos o contato durante nosso expediente. 😊

SEGUI > Com o objetivo de discutir ações que envolvem o serviço de saúde da Capital e instituições de ensino parceiras neste processo, foi realizada nesta quarta-feira, 08, na sala do Conselho Deliberativo do Sebrae-TO, a 4ª Reunião Ordinária do Colegiado do Sistema Integrado de Saúde Escola do SUS (Sise-SUS). A última reunião do ano foi presidida pela presidente da Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp), Marttha Ramos e contou com a participação de gestores municipais da área da saúde e representantes de instituições de ensino superior.

Na pauta, apresentação do mapeamento de cenários de aprendizagem foi feita pela coordenadora da Divisão de Ensino e Trabalho da Fesp, Renata Collicchio; já a coordenadora do Plano Integrado de Residências em Saúde (PIRS/Fesp), Socorro Sarmento, apresentou o aporte legislativo que regulamenta as residências em saúde em nível federal; e o secretário executivo do Sise-SUS, Marcos Fabiano Monteiro, apresentou a proposta de cronograma de reuniões ordinárias para 2022, no qual ficou pactuada a data do próximo encontro para o dia 08 de fevereiro do próximo ano, sujeita a alteração.

A coordenadora da Divisão de Ensino e Trabalho da Fesp, Renata Collicchio, explicou que atualmente 15 instituições estão conveniadas para desenvolver estágio nas unidades de saúde, sendo 12 instituições de ensino privada e três de ensino público, duas de nível superior, as Universidades Federal do Tocantins (UFT) e Estadual do Tocantins (Unitins); e uma de nível médio, a Escola Estadual Frederico Pedreira, que dispõe de curso Técnico de Enfermagem. “A proposta para 2022 é a melhor distribuição dos acadêmicos estagiários pensando num dimensionamento mais igualitário, atendendo de maneira eficaz a formação dos acadêmicos e oferecendo um serviço de qualidade à comunidade palmense”, finalizou.

A coordenadora do PIRS/Fesp, Socorro Sarmento, destacou que o apoio da gestão para o avanço da residência é fundamental. “Isso ocorre aqui na Fesp, sempre tivemos apoio, tanto que hoje somos a segunda melhor escola de saúde pública do país. Este ano, fomos contemplados em editais do Governo Federal que vão nos permitir qualificar cada vez mais os programas e, quem sabe, até expandi-los”, disse Socorro que apresentou os nove programas de residência da Fesp, dos quais 195 residentes fazem parte atualmente.

“Quando a gente começa a participar das reuniões, sair da nossa caixinha, a gente se dá conta da grandeza do trabalho desenvolvido. Falhamos quando saímos daqui e não multiplicamos o que vemos aqui. É nosso papel passar a todos da nossa entidade o trabalho desenvolvido por vocês que conta com nossa parceria, pois é muito importante, não só para a gente, mas principalmente, para toda a sociedade”, disse a enfermeira Natália Rios, representante da Escola Estadual Frederico Pedreira.

A presidente da Fesp, Marttha Ramos, destacou que a Rede Municipal de Saúde conta com 34 unidades e que é preciso fazer toda uma movimentação para organizar a distribuição dos estagiários e residentes. “Nossa proposta para 2022 é estreitar nosso vínculo por meio de visitas institucionais, tanto da nossa parte, conhecendo melhor todas as faculdades conveniadas com a Fesp, como também propondo aos acadêmicos estagiários de nossas unidades, a conhecer melhor a Fundação e todos os programas que desenvolvemos”, finalizou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.